Quem sou eu

Minha foto
Maracaju, Mato Grosso do Sul, Brazil
Professora de Artes na Rede Estadual - Escola Pe Constantino de Monte

Morre a árvore, nasce a arte

Morre a árvore, nasce a arte
Escultura de Elmar Medeiros em Maracaju

segunda-feira, 8 de junho de 2015

Modernismo no Brasil


Tarsila do Amaral

"Quero ser uma pintora da minha terra". Foi assim que Tarsila do Amaral definiu sua ambição. Nasceu em 1886 e criou-se na fazenda de seu pai em Capivari, interior de São Paulo. De família tradicional e rica, estudou em São Paulo e a partir de 1902, em Barcelona. Ali, aos 16 anos, pintou "Sagrado Coração de Jesus", seu primeiro quadro conhecido. Em São Paulo, começou a estudar escultura com Zadig Mantovani, e depois, desenho e pintura com Pedro Alexandrino.

Em 1920, foi novamente para a Europa onde estudou na Académie Julian e no ateliê de Émile Renard. Em 1922, voltou ao Brasil e se juntou aos modernistas, mas não participou da Semana de 22. Junto com Anita Malfatti, Oswald de Andrade, Mário de Andrade e Menotti del Picchia, formou o "Grupo dos Cinco".

Suas obras, de cores intensas e temas regionais, seguiam o conceito nacionalista do modernismo. Em 1928, pintou para Oswald o "Abaporu". Era uma pintura que poderia facilmente representar o Movimento Pau-Brasil. Também pintou temas urbanos, como em "São Paulo" (1924) e "Morro da favela" (1924). Retratou figuras humanas "A Negra" e "A caipirinha" de 1923, e registrou o interior brasileiro, como em "Cartão-Postal" e "Sol Poente" de 1929. Em 1933, com o quadro "Operários", ela deu início à pintura social no Brasil.
 

Fases da pintuta de Tarsila do Amaral

Primeiros anos 1924 – 1922
Início do Cubismo 1923

 Pau Brasil 1924 – 1928
 Antropofágica 1928 –
1930
Social 1933
Dos anos 1930 - 1950
Neo Pau Brasil  1950
 
Sagrado Coração de Jesus - 1926
 

Abaporu 1928



 


São Paulo 1924



 



Morro da favela 1924



 



A negra 1923



 



A caipirinha 1923


 



Cartão Postal 1928



 


Sol poente 1929



 


Operários 1933


Paisagem com touro 1925

 


Segunda Classe 1933

 
Batizado de Macunaima 1956

 

 
Auto retrato 1923 ou Manteau Rouge

Urutu 1928



 
A Lua 1928



 
A Cuca 1924


 
Antropofagia 1929



 
Idílio 1929

Anjos 1924

 
Carnaval em Madureira 1924
Estrada de Ferro Central do Brasil 1924
Vendedor de frutas 1925
A feira I 1924
O mamoeiro 1925
Paisagem com ponte 1931
A família 1924
Religião Brasileira 1927
A gare 1925
O sono 1928
Distancia 1928